A força dos nossos hábitos

E inútil vc querer controlar as situações que ocorrem na tua vida.

Vc é demitido da empresa, se separou da tua mulher, teu negócio deu uma embicada, como dizem os americanos, “shit happens”. A gente não tem como controlar.

O que sim a gente consegue controlar é a maneira como a gente reage a estas situações.

No livro “os 7 hábitos das pessoas muito eficazes” do Steven Covey, o hábito número 1 fala sobre agirmos com responsabilidade. Mas não responsabilidade no sentido literal, de agir com correção, mas no sentido da origem da palavra. “Respons” + “Ability”, ou seja, nossa habilidade de produzir uma resposta. Ele diz que este é o grande fator que nos diferencia dos animais. Nossa habilidade de, diante de um estímulo qualquer que chega até nós, considerar que existe um “gap” entre este estímulo e a nossa reação, que nos permite produzir uma resposta que faça sentido para nós, que esteja de acordo com aquilo que a gente deseja para nós mesmos. E não fazer como os animais, que ou fogem ou atacam. Nós, humanos, conseguimos pensar no “outcome”, no resultado que queremos. É uma pena que nem sempre a gente consiga exercer essa habilidade.

É um dos hábitos mais difíceis de cultivar. Somos constantemente pegos em situações onde só vamos refletir se nossa reação foi a mais adequada quando já é tarde demais, quando a reação já ocorreu, o “gap” já passou. Quando a flecha já foi lançada.

Mas não quero falar aqui somente de reações aos estímulos que a vida nos traz, embora seja um tema importantíssimo, mas também da força dos hábitos que a gente cultiva.

Um amigo se separou da mulher nesta semana e me contou que foi dormir no sofá a 1 hora da manhã, com a cabeça girando a um milhão por hora. As 5:30h, como é seu hábito, o despertador tocou e as 6:00h ele estava na academia, como é seu hábito. Pronto, seu dia tinha começado como todos os outros. Não deve ter sido fácil. A cabeça a mil, o corpo cansado de pouco descanso, triste pra caramba com a situação, ainda assim ele conseguiu se manter fiel aos seus hábitos. Vitória. Você não consegue controlar as situações mas consegue, ainda que com bastante esforço, controlar a sua reação. O que acaba não se tornando tão difícil se você cultiva hábitos de uma maneira consistente.

Sendo fiel a você mesmo e aos seus hábitos, você consegue se manter centrado no seu prumo. As pessoas começam a te notar como alguém que cumpre o que diz que vai cumprir, mesmo que a promessa tenha sido feita com você mesmo. E mais importante: você mesmo passa a ser enxergar como um cumpridor. O primeiro passo para conseguir influenciar pessoas e situações é conseguir se influenciar a si mesmo. Mantendo as promessas feitas conosco e sendo consistente e persistente nos nossos hábitos.

Se você se prometeu acordar cedo, acorde. Prometeu se exercitar durante 1 hora por dia, agende. Prometeu ser pontual nos teus compromissos, chegue sempre 5 minutos mais cedo. Seja fiel aos teus hábitos pois quando as desgraças aparecerem na tua vida (e não adianta reclamar, elas sempre vão aparecer) você já saberá o que fazer:

1. Pense na melhor reação que você pode ter naquele momento. Não reaja como um animal
2. Mantenha-se fiel aos seus hábitos

Não me lembro quem escreveu isso, mas me lembro mais ou menos da mensagem:

Um pensamento te leva a uma ação. Uma ação deve se transformar em um hábito. Os hábitos moldam o caráter. E o caráter define o teu destino.

Quer compartilhar algum hábito que você considere muito útil na tua vida? Talvez você inspire alguém.

2 comentários em “A força dos nossos hábitos”

Deixe uma resposta para Luciana Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s