Em Busca de uma Tomada

tomada

Ontem assisti a um dia inteiro de palestras sobre o futuro. Um dos palestrantes ia mostrando em video todas as coisas que estão sendo feitas ao redor do mundo, com uso da tecnologia, que irão impactar tudo o que fazemos. Como circularemos pelas cidades, como empresas estão mapeando todas as reservas de água potável do planeta, como os robôs farão tudo por nós de maneira que nossa única missão na vida será cuidar dos nossos e sermos criativos. Pois, supostamente, todos os trabalhos não criativos serão executados por estas máquinas maravilhosas.

Bicicletas e carros sem necessidade de condutor, previsão exata do horário da chuva na esquina da minha casa, ou melhor ainda, em cima da minha horta, experiências que estão sendo conduzidas em Oxford, Yale, Harvard, empresas unicórnio que surgiram no vale do silício e em menos de 3 anos já valem mais de 1 bilhão de dólares, enfim, um mundo incrível. Fico com inveja das minhas minhas filhas, que para acessar todas estas maravilhas que o mundo nos trará nos próximos 10 anos, precisarão apenas de….1 smartphone.

Eis que, de repente, no meio da palestra, a realidade brasileira é esfregada nas nossas caras. Uma rajada de vento derruba árvores pelo bairro, a energia da rede elétrica é cortada, o evento é interrompido até a entrada do gerador. São 4h da tarde.

Caos total no trânsito para voltar para casa, subida de muitos degraus porque as 10h da noite a luz ainda não havia voltado; banho gelado porque o boiler a gás foi substituído por um elétrico na semana passada (a conta do gás andava em torno de R$350,00!!). Noite de semi-insônia porque nem o ventilador dava pra ligar. 6h da manhã e nada da luz chegar.

Mas nada disso importa, temos sido treinados, nós brasileiros, para ser resilientes, inclusive isso foi ressaltado em uma das palestras. Trânsito, escadas, banho frio, mosquitos e calor, nada disso importa, afinal estamos vivos, somos fortes, vários dos palestrantes disseram isso.

Mas nada, nem as técnicas mais avançadas de mindfulness, te deixa preparado para ficar sem aquela peça ancestral, tão familiar a todos nós desde o tempo de nossos tataravós: a tomada. Com aquele 2 (agora 3) buraquinhos.

Aí você começa a pensar. Que mundo maravilhoso é este que se descortina, do qual o smartphone é o centro gravitacional, que não nos permite… carregar o celular??

10h da manhã e a luz não voltou ainda, dá pra acreditar? Século 21! Como assim? Tive que sair de casa em uma verdadeira peregrinação em busca de uma tomada. Vou até a padaria de todos os dias para descobrir que, não satisfeito em haver suspendido o wifi – os clientes ficavam muito tempo ocupando as mesas – o Portuga também arrancou… as tomadas da parede!!

Como sou amigo do chapeiro, pedi para dar uma carguinha ali mesmo, ao lado da chapa, pelo menos para mandar mandar uns whatsapps reorganizando a vida, agora sem luz. O escritório também está sem luz, a Ofner está sem luz, ninguém tem uma tomada, ó ceus, cruzes, como viver num mundo assim? Tomadaless…não dá.

Fico pensando. Isso acontece no Alto de Pinheiros, o bairro mais bacana da cidade mais moderna da America Latina!!! Estamos sem luz há 20 horas. Que modernidade é essa? Onde está este futuro que todos falam se não conseguimos…uma tomada????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s